Goiânia ganha árvore solar que inicia projeto de energia sustentável no IFG

Goiânia ganha árvore solar que inicia projeto de energia sustentável no IFG
Escrito por Paula Falcão no dia na categoria Cidade

O pátio do campus do Instituto Federal de Goiás (IFG), no Centro de Goiânia, ganhou uma árvore solar. A palmeira metálica de 11 m de altura tem estrutura tubular e dez placas fotovoltaicas em suas folhas.  A produção de energia é de 300 KWh por mês, o suficiente para suprir duas residências com quatro moradores cada.

A árvore solar fica iluminada durante a noite. O monumento funciona como uma pequena usina fotovoltaica é o símbolo do Projeto Prioritário de Eficiência Energética do IFG. Segundo o professor José Luís Domingos, que coordena o trabalho na instituição, a árvore representa o resultado de estudos sobre geração e consumo sustentável de energia desde 2012.

Árvore solar no pátio do campus do IFG, no Centro de Goiânia, tem 11m de altura e placas fotovoltaicas nas folhas | Foto: Carla Falcão

De lá para cá, foi avaliado o potencial de geração de energia fotovoltaica nos telhados do campus do Centro. Também ocorreu a análise técnica e econômica para a instalação de usinas. Uma chamada pública da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) permitiu colocar o projeto em prática com recursos da Enel Distribuição Goiás. E a inauguração da árvore em maio demarcou o início do programa.

A Aneel  propôs que institutos e universidades tenham selo A de eficiência energética. Assim, a Enel passou a investir parte de sua receita em projetos de instituições públicas de ensino superior.  Além do IFG, também é desenvolvida parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG).

Ou seja, a meta é enquadrar as instituições no patamar mais alto de segurança, impacto ambiental e relação custo-benefício em termos de geração e consumo de energia elétrica.  As normas de eficiência energética são estabelecidas pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

 

Instalação de usinas fotovoltaicas

Árvore solar instalada no IFG, em Goiânia, funciona como mini usina fotovoltaica e é responsável por gerar a energia da iluminação que a deixa colorida | Foto: Carla Falcão

Mais do que uma nova atração, a árvore solar marca a mudança na forma de produzir e consumir energia no IFG.  A conta de luz da instituição no Estado pode cair em até 80%. Além da iluminação de ambientes passar a ser LED, de menor consumo, serão no instaladas 700 placas fotovoltaicas para geração de energia solar no campus do Centro de Goiânia. Tudo isso aliado à pesquisa.

O campus de Itumbiara (GO), que tem o Curso de Especialização em Energias Renováveis, recebeu uma segunda árvore solar. As unidades de Anápolis, Inhumas, Jataí, Luziânia, Senador Canedo, Uruaçu, Valparaíso, Aparecida de Goiânia, Formosa e Goiás serão beneficiadas pelo Projeto Prioritário de Eficiência Energética com mini usinas fotovoltaicas.

O valor total investido é de R$ 2,6 milhões. As árvores solares têm vida útil de 20 anos.

 

Como visitar a árvore solar no campus Centro

O professor do IFG, José Luís Domingos, acredita que o público em geral não terá problemas ao visitar a árvore solar do campus do Centro, em Goiânia. Todavia, é recomendável ir à instituição em horário compatível com seu funcionamento. Também é preciso apresentar um documento com foto e se identificar na portaria da instituição.

Você também pode gostar

Palavras chave: , , , , , , , , , , , , ,

,