Pessoas e lugares: aos 81 anos, pioneiro do Parque Areião procura nova esposa

Pessoas e lugares: aos 81 anos, pioneiro do Parque Areião procura nova esposa
Escrito por Aproveite a Cidade no dia na categoria Cidade

Que tipo de sentimento passear pelo Parque Areião traz para você?

O #aproveiteacidade tirou uma manhã de domingo para desvendar o lugar inaugurado em 1938. Os visitantes, dos mais fiéis aos mais desavisados, nos contaram algumas histórias do lugar, que em seus 215 mil m² abriga uma extensa pista de cooper (2,4 mil m), um belo lago, parques infantis, um anfiteatro natural e uma reserva florestal.

 

“Os prédios estão aqui pela natureza. Antes, aqui era uma plantação de rosas. Não tinha nem árvore ainda. Ajudei a plantar os bambus que vieram da China e do Japão. Furaram tudo com enxada. Já peguei peixe neste lago com a mão”, contou o aposentado  Teon Leal, de 81 anos, revisando as lembranças . Disse estar à procura de uma esposa. Quis usar o espaço no #aproveiteacidade para fazer a divulgação. “Coloca lá: procura-se esposa!”

TEON LEAL, de 81 anos,

sabe histórias da fundação do Parque e busca novo amor

 

“Gostamos muito do contato com a natureza. Tem macacos-prego, vimos outros animais. É bem arborizado”, avaliou Adherbal Teixeira da Cunha Neto, de 46 anos, militar. Ele é recém-chegado.  Mudou-se para a capital há três semanas. Era a primeira vez que visitava o Areião com a família. Aproveitaram para fazer um piquenique próximo ao lago.

ADHERBAL TEIXEIRA , de 46 anos,

aproveitou visita para fazer piquenique com a família

 

“O que mais gosto (no Parque Areião) é a paz que transmite”, afirmou Abadia Souza Ribeiro, de 72 anos, aposentada. Ela estava passeando com marido, Jair Ribeiro, de 74 anos.   Viajantes, os dois conheceram vários lugares do mundo e costumam frequentar o Areião nos finais de semana.  Naquele domingo engataram uma prosa com o que parecia ser um amigo de longa data. Que nada! Tinham acabado de conhecer.

ABADIA SOUZA RIBEIRO, de 72 anos, e o marido,  JAIR RIBEIRO, de 74 anos,

frequentam o Areião nos fins de semana

 

“Moro no Setor Coimbra e venho ao Areião todos os sábados e domingos para caminhar. É uma benção. A gente faz amigos e conhece gente que cuida do Parque”, contou Domingos de Oliveira, de 69 anos, protético. É um apegado no lugar. Ressaltou que a gestão municipal deveria ter mais zelo com o espaço, cenário para bons papos ou para ler o jornal.

DOMINGOS DE OLIVEIRA, de 69 anos,

é articulado, conversador e faz amizade com que passa pelo banco de onde observa o lago

 

“Já fui em outros parques (de Goiânia), mas aqui no Areião é a primeira vez. É bom. Suave. Agradável”, disse Edilene Costa Silva, de 35 anos, do lar. A impressão veio de supetão, após ser surpreendida por um questionamento durante uma tentativa de selfie com o companheiro Gerlan Ferreira Sousa, de 37 anos, que é motorista. Os dois são naturais de Imperatriz (MA), mas há anos moram na capital.

EDILENE COSTA SILVA, de 35 anos, e GERLAN FERREIRA SOUSA, de 37 anos,

aproveitam belo cenário para uma foto

 

 

Não era só o casal que buscava o melhor clique. Naquele dia – em meio a passeios com cachorros, crianças afoitas ao verem macacos-prego e patos, adultos se exercitando ou relaxando em cadeiras confortáveis, bêbedo água de coco -, ao menos dois ensaios fotográficos ocorriam simultaneamente no parque.

 

Parque Areião

Endereço: Av. Areião, s/n, SetorPedro Ludovico – Goiânia

Palavras chave: , , , ,

,