Seis edifícios culturais em São Paulo que você tem de conhecer

Seis edifícios culturais em São Paulo que você tem de conhecer
Escrito por Camila Caetano no dia na categoria Cidade

O time Aproveite a cidade (#teamaproveite) preparou um roteiro com seis edifícios culturais em São Paulo que você não pode deixar de conhecer. Vale uma passadinha por lá, tanto pela arquitetura dos seus edifícios, como pela riqueza dos seus acervos e atividades!

 

MASP

MASP é considerado o primeiro edifício de arte moderna do Brasil. Museu abriga importantes obras de pintores nacionais e internacionais | Foto: Paula Falcão

O Museu de Arte de São Paulo (MASP) foi fundado em 1947 por Assis Chateaubriand e é considerado o primeiro museu de arte moderna no País. Há vários motivos para este ser um  dos edifícios culturais em São Paulo que recomendamos você conhecer. O acervo permanente do Museu conta com artistas internacionais como Claude Monet, Vicent Van Gogh, Edgar Degas. Também há importantes obras de pintores nacionais como Candido Portinari, Di Cavalcanti e outros.

O edifício é um marco da arquitetura moderna brasileira. Projetado pela arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi ele foi construído em 1947. A arquitetura do museu é muito expressiva destacando o grande vão suspenso que sustenta o 2º andar, o qual forma uma praça que já foi palcos de grandes manifestações políticas.

Além do acervo permanente, o MASP realiza ao longo do ano uma ampla programação de exposições coletivas e individuais. Os ingressos para o museu podem ser comprados online ou na bilheteria com custo de 35 reais (inteira) e 17 reais (meia-entrada). Uma boa dica é que nas terças-feiras a entrada é gratuita! O museu abre de terça a domingo.

 

Pinacoteca de São Paulo

Carla Falcão, do time Aproveite, posa em uma das janelas da Pinacoteca de São Paulo. Construção guarda expressivo acervo de artistas brasileiros | Foto: Paula Falcão

Um clássico da cidade de São Paulo, a Pinacoteca foi construída em 1900 para ser a sede do Liceu de Artes e Ofícios. Entre 1994 e 1998, o prédio foi restaurado pelo arquiteto Paulo Mendes da Rocha, que deu a cara que mistura o novo e o moderno que o edifício tem hoje.

O museu guarda um acervo permanente de expressivos pintores brasileiros como: Tarsila do Amaral, Iberê Camargo, Benedito Calixto, Roger Wright, entre outros. A Pinacoteca fica no bairro Jardim da Luz e para chegar lá de metrô você deve pegar a linha vermelha/amarela ou azul em direção à Estação da Luz.

Os valores dos ingressos são 6 reais (inteira) e 3 reais (meia-entrada para estudantes com carteirinha). Menores de 10 anos e maiores de 60 anos são isentos de pagamento. Aos sábados, a entrada é gratuita para todos.

 

Sala São Paulo

Sala  de concerto da Sala São Paulo. Edifício foi reformado na década de 1990 e espaço para consertos tem altura móvel | Foto:  Camila Caetano

A Sala São Paulo fica próxima à Pinacoteca de São Paulo e da Estação da Luz.  Atualmente é um edifício dedicado a receber vários concertos musicais. Construída no século XIX, posterior a Estação da Luz, o edifício faz parte da Estação Júlio Prestes. O local foi pensado com o intuito de facilitar o transporte do café. Após ser concluído, ele passou por um rápido processo de desuso devido à repentina queda da cultura cafeeira.

Assim como a Pinacoteca, a Sala São Paulo passou por uma reforma nos anos de 1990, onde o jardim aberto central do edifício foi fechado e a sala de concerto criada. Um dos pontos altos da sala é seu forro móvel composto por 15 painéis, que permite que o som do ambiente possa ser ajustado. Assim, a sala pode ter uma altura que varia de 8 m a 25 m.

Para assistir a um concerto na Sala os ingressos variam entre  50 reais  e 250 reais. Vale consultar a programação disponível no site na época da sua visita. Em alguns domingos às 11h, a Sala São Paulo realiza concertos gratuitos para o público. Para visitas orientadas, o custo é de 5 reais por pessoa. Elas podem ser agendadas pelo site do centro cultural. É muito interessante ver a história do edifício explicada pelos monitores!

 

Centro Cultural FIESP

O Centro Cultural FIESP (Fundação das Indústrias do Estado de São Paulo) é composto por um espaço abriga que três ambientes. São eles: o Teatro do Sesi – São Paulo, a Galeria de Arte do Sesi-SP eo mezanino. Trata-se de uma construção de arquitetura moderna, construído na década de 1970.

 Ponto de referência no skyline da Avenida Paulista, o Centro Cultural FIESP destaca-se por sua fachada inclinada, que se projeta para a avenida. A circulação pelo foyer do edifício é livre e conta com a loja da editora Sesi-SP, um café ao fundo e um jardim suspenso contemplativo, projetado pelo famoso paisagista Burle Marx.

Os teatros, shows, exposições de arte, aulas e palestras variam conforme a programação, que é totalmente gratuita. Para ir às exposições teatrais e musicais o melhor é fazer um agendamento prévio pelos canais de atendimento.

 

Japan House

Pessoas se sentam na calçada para observar a original Japan House, construída em 2017 | Foto: Camila Caetano

Um dos prédios mais novos da Avenida Paulista, o Japan House foi construído em 2017! Localizado no início da avenida, o prédio foi idealizado pelo projeto do governo japonês, que tem o mesmo nome do edifício. Com certeza, tem de estar na lista de edifícios culturais em São Paulo para você apreciar!

A ideia do projeto é difundir os elementos da cultura japonesa para a comunidade internacional. O foco do projeto é construir centros que sejam capazes de atrair visitantes para novas experiências e atividades.  Há unidades também em Londres e Los Angeles (EUA).

Que tal a Japan House por este ângulo? Dá de ficar observando o prédio por um tempão, mas também tem coisas legais para fazer lá dentro | Foto:  Camila Caetano

O centro cultural abriga exposições temporárias, que têm duração de aproximadamente dois meses. O Japan House possui ainda um restaurante que fica aberto em horários específicos, salas para realização de seminários e workshops, biblioteca, loja de venda de artigos japoneses e cafeteria.

Quando fizer a sua visita, vale admirar a bela, minimalista e contemporânea arquitetura do edifício projetado em conjunto por arquitetos brasileiros e japoneses. A entrada é gratuita!

 

Instituto Moreira Salles

Na outra extremidade da Avenida Paulista e também construído em 2017, fica a sede paulista do Instituto Moreira Salles (IMS). Consiste em projeto arrojado e extremante contemporâneo.

O IMS é uma instituição cultural brasileira que tem patrimônios em quatro áreas: fotografia, música, literatura e iconografia. A instituição promove também exposições de artes plásticas de artistas brasileiros e estrangeiros.

Assim como no MASP, o térreo do edifício é liberado trazendo a ideia de praça.  Neste caso, conta também com um restaurante. Nos próximos pavimentos, há biblioteca, cursos ligados à fotografia, arte, auditório, café, livraria, lojas e áreas expositivas localizadas no 6º, 7º e 8º pavimentos. A entrada neste, que é um dos edifícios culturais em São Paulo que valem a visita, é gratuita!

 

Dica extra

Não dá de resistir a uma foto ao lado de Antropofagia, de Tarsila do Amaral. A Camila Caetano, do time Aproveite, não perdeu a oportunidade

A última dica é que nas segundas-feiras a maioria dos edifícios culturais em São Paulo fica fechada. O funcionamento geralmente é de terça-feira a domingo. Exceção à Pinacoteca de São Paulo e a Sala São Paulo que funcionam de segunda a segunda.

Palavras chave: , , , , , , , , , , ,

,