Uma pamonha em Goiânia cuja descrição dá água na boca

Uma pamonha em Goiânia cuja descrição dá água na boca
Escrito por Paula Falcão no dia na categoria Cidade

Você já foi fisgado pela descrição de uma comida?  Foi graças ao relato de uma amiga que fui parar na Pamonha Oeste em uma quinta-feira de clima ameno em Goiânia. Pamonha a moda, bem molinha, com linguiça e queijo do início ao fim. Ainda tem grãos de milho cristal. Como resistir?

Pamonha molinha, com linguiça e queijo com fartura, além de milhos cristal, da Pamonha Oeste | Foto: Paula Falcão

É engraçado como os goianienses têm diferentes preferências em relação a esta iguaria típica do nosso Estado e, claro, a pamonharia preferida na ponta de língua para indicar, como a melhor da cidade. Frequento há anos a Pamonharia Tradicional, na rua José Hermano, no bairro de Campinas.

O cardápio da Tradicional foi crescendo ao longo dos anos. Não têm opções só a base de milho. Assim, vale pedir um churrasquinho ou macarrão, tipo Spoleto. E é tudo gostoso. Já experimentei.  Mas a receita queridinha é a sopa de milho.

Na Pamonha Oeste vi um ambiente mais voltado à especialidade da casa.  O preço de 9 reais da receita à moda assustou um pouco. Todavia, há de se entender que há variações de bairro para bairro, localização, serviço e valor agregado.  Ou seja, o que mensura tudo isso é a sua experiência.

Impressões da iguaria

Quando chegou,  achei as palhas grandes e  bem recheadas. Bem molenga também. Nunca vi alguém descrever tão bem um alimento, como a Laura Braga descreveu a receita da Pamonha Oeste.  O tempero é bom e, se tiver a oportunidade,  confira se entra no seu ranking das pamonhas favoritas da cidade.

Palavras chave: , , , , ,

,