20ª edição do Festival Bananada celebra a diversidade no alternativo

20ª edição do Festival Bananada celebra a diversidade no alternativo
Escrito por Paula Falcão no dia na categoria Cidade

O maior festival de música alternativa de Goiás chega à marca de duas décadas. Na 20ª edição, que começou na segunda-feira (7/5) e vai até domingo (13/5), o Festival Bananada celebra a consolidação de um cenário cultural construído aos poucos e que se apresenta cada vez mais diverso. Afinal, quem se abriga no alternativo?  Rock, pop, funk, rap, hip hop, jazz, eletrônico, MPB. Na capital da música sertaneja, é só ela mesmo que falta.

São mais de 100 atrações que circulam por todas estas vertentes musicais e povoam Goiânia em casas com diferentes estilos e públicos. É como se esse somatório de diferenças resultasse nos frequentadores do Festival Bananada. Até o produtor cultural do evento, Fabrício Nobre, tem dificuldade em definir para quem se destina o que ele encabeça.

Tem quem ainda lamurie a abrangência que sobrepôs às raízes do festival fincadas no rock alternativo. Há quem comemore o pop de Pabllo Vittar encabeçando um dos line ups do final de semana (sábado). Segundo pesquisa realizada pela organização em 2017, quem assiste aos shows está majoritariamente entre os 24 anos e os 32 anos. Além disso, as mulheres são maioria.

Novo local para os shows no fim de semana

Bananada Sessions, evento-teste do Festival Bananada, em 2017, no shopping Passeio das Águas. Local recebe evento a partir desta quinta-feira (10/5) | Foto: Paula Falcão

Dentre as novidades da edição está o local que abrigará as apresentações do final de semana. Na verdade, já a partir desta quinta-feira (10/5).  Com a reforma do Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON), o Bananada ocorrerá no shopping Passeio das Águas. O local já tem recebido festas numerosas e tradicionais de Goiânia. O próprio festival realizou um evento-teste no estacionamento do centro de compras.

São nos palcos montados no Passeio das Águas que passarão nomes como Gilberto Gil, que celebra os 40 anos do álbum Refavela, Emicida, KL Jay, Rincón Sapiência, Negro Leo, Boogarins, Nação Zumbi e BaianaSystem. Mas para quem decidiu  acompanhar o Festival Bananada do início ao fim houve belos motivos para bater perna pela cidade.

Casas de Goiânia também abrigam o Bananada

Banda Flor de Sal durante show no Retetê. Evento marca parceria entre o Festival Bananada e a marca carioca Farm | Foto: Paula Falcão

Os showcases do Festival Bananada estão promovendo uma verdadeira ocupação por Goiânia. Recebem apresentações: o Centro Cultural da UFG, no Setor Universitário; o Complexo Estúdio; a Toca Coletivo; a Dox Store; a Hocus Pocos,  o Cafofo Estúdio; o Evoé; o Retetê; o Hostel 7; o Underdog do Parque Flamboyant; o Diablo Pub; o Imerse; o Teatro Goiânia e o El Club.

Ufa! Parece mesmo que não dá de fugir da abrangência do evento. O #teamaproveite acompanhou a apresentação do guitarrista norte-americano, Lee Ranaldo, ex-Sonic Youth, na terça-feira, no teatro do Centro Cultural da Universidade Federal de Goiás.  A verdade é que dava de emendar uma visita a outra casa com atrações.  Só dependia mesmo da disposição.

Na quarta-feira, foi a vez de conferir a apresentação da Banda Flor de Sal, no Retetê. A balada celebrou a parceria entre o Festival Bananada e a Farm. No shopping Passeio das Águas haverá uma loja, onde o público poderá conferir as peças da coleção inspirada no evento goiano.

A programação completa do Festival Bananada está disponível AQUI!

Palavras chave: , , , , , , ,

,