Vila Cultural Cora Coralina não vai mais receber feiras de produtores locais

Vila Cultural Cora Coralina não vai mais receber feiras de produtores locais
Escrito por Paula Falcão no dia na categoria Goiânia

A Vila Cultural Cora Coralina, no Centro de Goiânia, não vai mais receber feiras organizadas por produtores locais de moda, gastronomia, design, artesanato e decoração. Segundo as gestoras de eventos destes segmentos, a nova administração da Vila informou, na última semana, que o espaço será voltado apenas para atividades relacionadas à arte.

Por isso, o Mercado das Coisas,  que reúne em média 100 expositores em cada edição com produtos variados; e a Go Vegan, feira que divulga o estilo de vida vegano, por meio da alimentação, produtos ecológicos e artesanais; buscam outro local para acontecer.

“A nova gestão não quer mais que tenha feirinha no espaço, porque eles não consideram que o que a gente faz arte”, contou  a organizadora do Mercado das Coisas, Thaty Cunha. A Vila foi a casa do evento ao longo dos últimos três anos. Assim, o local recebeu quase 40 vezes. O calendário 2019 com outras dez edições já tinha sido aprovado pela gestão anterior.  “A gente aquece a economia local. Tem gente que vive disso, de fazer a feira mensal”, argumenta.

“Fomos informados que a Vila é um espaço museológico e terá algumas certificações para receber exposições nacionais. Por questões técnicas, o espaço não pode mais manter a agenda”, explica Nayara Assunção, organizadora da Go Vegan. Ela conta ainda que a mudança gerou incertezas em quem participa e frequenta a feira. Mensalmente, a Go Vegan levava entre 30 e 50 expositores à Vila.

Secult argumenta sobre finalidade da Vila

Vila Cultural Cora Coralina  recebe público durante edição do Mercado das Coisas, em 2018

Vila Cultural Cora Coralina durante edição do Mercado das Coisas, em 2018 | Foto: Paula Falcão

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Cultura de Goiás (Secult Goiás),  informou que “algumas atividades que vinham sendo realizadas nas dependências da Vila Cultural Cora Coralina precisaram ser repensadas.”  E que, portanto, “eventos como feiras, que não se encaixam no perfil de atividade desta unidade.”

A Secult Goiás justifica ainda que a Vila “é um espaço destinado a exposições e apresentações relacionadas intimamente com preceitos artísticos e culturais” e que, por isso, “não é aceitável o desvio de sua atividade fim.”  A nota traz ainda que “o calendário do espaço a partir de agora, inclusive, está sendo construído claramente com esse pensamento em mente.”

Martim Cererê é apresentado como alternativa

Para as realizadoras das feiras, a Vila Cultural Cora Coralina oferece a infraestrutura necessária para atender bem a clientes de todas as faixas etárias, desde crianças até os idosos. Ou seja, área coberta, banheiros em bom estado e que podem ser utilizados como provadores. Uma percepção diferente elas têm sobre o local ofertado como novo destino dos eventos pela Secult, o Centro Cultural Martim Cererê, no Setor Sul.

“Não tem segurança nenhuma, estrutura, iluminação, não tem cobertura se chover e também não cabe a quantidade de expositores”, afirma a organizadora do Mercado das Coisas, que já realizou uma edição especial no espaço. “Não tem como levar pra lá.”

Segundo Nayara,  a Go Vegan espera contar com o apoio da Secult nesta fase de transição.  Todavia, em relação ao Martim Cererê, ela relata que “infelizmente, o espaço cedido não comporta (a Go Vegan) no momento. Mesmo assim, estamos avaliando outras alternativas.”

No entendimento da atual gestão da Secult Goiás, o Martim Cererê “por ser um espaço multicultural e com área aberta, se adequa melhor ao perfil de algumas atividades, incluindo feiras.”  Assim, ao que parece, proporcionar  novos usos ao local é um dos objetivos do  governo, porque outras feiras estão se instalando por lá.

O local  passou a abrigar recentemente a  Feira do Troca, evento de permuta de mercadorias de pequeno porte, que tinha caráter itinerante. A feirinha já foi realizada em vários parques da cidade. O Martim Cererê  também já recebe o Mercado das Pulgas. Ao longo de 2018,  ele foi realizado junto com projeto Cidade Rock, com apresentações gratuitas de bandas locais e  convidadas, que continua este ano.

Para onde Mercado e Go Vegan vão

As  organizadoras das feiras estão procurando locais alternativos a Vila Cultural Cora Coralina e ao Martim Cererê. A próxima edição do Mercado das Coisas, no dia 13 de abril, acontecerá no Colégio Lyceu de Goiânia, no Centro.  Todavia, outros locais são cogitados por Thaty, como o Grande Hotel e o Centro Cultural da UFG, no Setor Universitário.

Nayara conta que a Go Vegan do dia 7 de abril está confirmada, mas ainda sem localização definida. Ela espera divulgar o destino do evento em breve.

Palavras chave: , , , , , , , , , , ,

,