Saiba porque Goiânia tem tantas áreas verdes

Saiba porque Goiânia tem tantas áreas verdes
Escrito por Camila Caetano no dia na categoria Cidade

Desacelerar, ver o tempo passar, respirar um ar puro. Tudo isso faz parte da busca cotidiana de quem vive nas grandes cidades. Ao tentar traduzir o que significa qualidade de vida, os lugares mais procurados pelas pessoas são as áreas verdes.

O que a história nos mostra é que Goiânia sempre foi uma cidade com grande apreço pela cultura e pelo meio ambiente. Segundo os últimos dados da Prefeitura, a cidade tem 94 m² de área verde por habitante.

Por isso, a capital é considerada a segunda cidade com a maior quantidade de área verde por habitante no mundo.  Fica atrás somente de Edmonton, no Canadá, com um quantitativo de 100 m² de área verde por habitante.

Com 32 parques e bosques implantados, Goiânia supera em sete vezes a recomendação de 12 m² de área mínima verde por habitante da Organização das Nações Unidas (ONU). Esta relação forte da cidade com o verde pode ser explicada na história da sua construção.

A relação histórica de Goiânia com o verde

O Bosque dos Buritis já fazia parte do projeto de construção de Goiânia, do arquiteto e urbanista Atíllio Correia Lima | Foto: Nana Caê

Como falamos aqui, Goiânia é uma cidade moderna construída no coração do Brasil. Assim, nesta época, existia por parte dos arquitetos e urbanistas, que participaram do  projeto e elaboração da capital, uma vontade de construir uma cidade totalmente inovadora.

Para atingir tais objetivos, os arquitetos utilizaram como referência o que havia de mais novo nas discussões sobre  urbanização na Europa.

O plano inicial da cidade, feito pelo arquiteto Atíllio Correa Lima, já mencionava várias áreas verdes. Ou seja, o Parque dos Buritis, o Bosque dos Bandeirantes, os Parques Lineares Capim Puba e Botafogo, o Parque Paineira, o Parque Aquático Jaó e o Zoológico.  Estas eram definidas por ele como as parkways.

Mas, somente quando Atíllio se afastou do projeto, por volta de 1935, e o engenheiro-arquiteto Augusto de Godoi assumiu os planos de construção da nova capital,  é que a concepção de Goiânia se afastou da ideia de uma cidade mais industrial e setorizada. Logo, assumiu uma proposta que valorizaria ainda mais o verde.

O conceito de cidade-jardim

Núcleo central da cidade de Goiânia proposto por Armando Augusto de Godoi
Fonte: Goiânia os planos, a cidade e o sistema de áreas verdes. Maria Eliana Jubé Ribeiro

Augusto de Godoi incorporou os conceitos de “cidade-jardim” de Ebenezer Howard, urbanista inglês do século XIX, aos planos da capital.

As cidades-jardim de Howard propunham o fim da divisão entre o urbano e rural. E, para isso, a ideia era pensar as cidades como pequenas vilas para até 35 mil habitantes, cercadas de verde.

Nos planos de Godoi, além da intensa arborização das vias,  a cidade era abraçada por um cinturão verde. Este cinturão previa atividades de lazer e contemplação da natureza, mas também para a produção de alimentos.

As áreas verdes figuravam a proposta de Howard cumprindo um papel sanitarista. Portanto, de elo com as virtudes do campo e a economia. Assim, seria construído um espaço de grande qualidade ambiental.

O desenho resultante da proposta de Godoi incluiu um novo setor: o Setor Sul, peça chave na construção dessa cidade que propunha a valorização do verde. Infelizmente,  hoje em dia, esses espaços em sua maioria, encontram-se subutilizados.  Falaremos disso no próximo artigo, aguardem!

Como a  evolução da cidade afetou as áreas verdes

O Parque Lago das Rosas, no Setor Oeste, é uma das 32 áreas verdes da capital | Foto: Paula Falcão

Desde o surgimento de Goiânia até os dias atuais, muitas transformações ocorreram no ordenamento e na dinâmica da cidade. Mudanças que também se estenderam aos parques encontrados hoje na capital.

Entre a década de 1930 e 1990, muitas das áreas verdes originais de Goiânia foram extintas devido a expansão da cidade. Mesmo assim, por causa das configurações iniciais de projeto e execução da cidade, os goianienses ainda conseguem desfrutar de uma capital abundante em áreas verdes.

E você, qual parque você mais costuma ir? Você sabe valorizar esses respiros urbanos?

Quer saber mais

Livro: Goiânia os planos, a cidade e o sistema de áreas verdes | Maria Eliana Jubé Ribeiro

Palavras chave: , , , , , , , , , , ,

,